Navegar para Cima

Notícias

Semana da Consciência Negra promove reflexões sobre o racismo

Atividades marcam a luta contra a discriminação racial
19/11/2019
Cultura
Atividades marcam a luta contra a discriminação racial

​​​​Na manhã desta segunda-feira, 18/11, os educandos e educadores do Centro Social Marista de Porto Alegre - Cesmar, realizaram a abertura da Semana da Consciência Negra no Cesmar.  Na abertura o educador social Luciano Marino destacou a importância dos educadores no processo formativo dos jovens na luta contra o racismo e na busca por mais igualdade de direitos.

O educador social, Ederson Gonçalves, manifestou através de um slam intitulado "20 de novembro", um resgate histórico do negro no Brasil, fazendo um comparativo entre os escravos antes da Lei Áurea e os "escravos" atuais.

Os educandos do Grupo de Danças Africanas e o Grupo de Capoeira do Cesmar realizaram uma apresentação de danças típicas e organizaram uma roda de capoeira. Logo após os educandos foram convidados a visitarem uma exposição de trabalhos sobre arte e cultura Afro. Os trabalhos seguem expostos no Piquete e na Capela do Cesmar.​​​​

Na terça-feira, 19/11, os educandos participaram da primeira edição do Desfile Afro Cesmar. Com muita alegria e simpatia nossos educandos passaram pela passarela montada na quadra aberta. 

Já no Dia de Zumbi dos Palmares e da Consciência Negra, 20/11, os educandos participaram de diversas oficinas sobre a cultura Afro: Confecção de bonecas Abayomi, pinturas Afro no rosto, pinturas de desenhos, confecção de colares e pulseiras, e o Setor de Pastoral preparou a Hora do Conto e Dinâmicas de Grupo. Para o encerramento da semana, estudantes do Marista Irmão Jaime Biazus, apresentaram danças africanas.​

Como surgiu o Dia da Consciência Negra?

​O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi dos Palmares​​, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na Região Nordeste do Brasil.​​

Zumbi foi morto em 20 de novembro de 1695,​ por bandeirantes liderados por Domingos Jorge Velho. Atualmente existe uma série de estudos que procuram reconstituir a biografia desse importante personagem da resistência à escravidão no Brasil.

A data de sua morte, descoberta por historiadores no início da década de 1970, motivou membros do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial, em um congresso realizado em São Paulo, no ano de 1978, a elegerem a figura de Zumbi como um símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no Brasil, bem como da luta por direitos que os afro-brasileiros reivindicam.​

O que o Dia da Consciência Negra representa?​​​​​

Além das questões que envolvem Zumbi e o Quilombo dos Palmares, o Dia da Consciência Negra é uma data significativa, pois traz à luz questões importantes: o racismo e a desigualdade da sociedade brasileira. É uma data que relembra a luta dos africanos escravizados no passado e que reforça a importância da realização de novas lutas para tornar a nossa sociedade mais justa.

O Dia da Consciência Negra é importante para relembramos que a nossa sociedade foi construída por meio da escravidão. Por mais que melhorias e mudanças tenham acontecido, a falta de oportunidades para a população negra, o racismo presente nos detalhes do cotidiano e as tentativas de apagamento de cultura africana evidenciam que ainda temos um longo caminho a ser trilhado. É disso que se trata o Dia da Consciência Negra.​

Fonte: Brasil Escola​​