Navegar para Cima

Notícias

Cesmar Cultural 2019 apresenta o espetáculo: "Juntos Sejamos Ponte e Farol de Esperança"

Comunidade lotou o ginásio para acompanhar a apresentação
26/12/2019
Comunidade
Comunidade lotou o ginásio para acompanhar a apresentação

​Na noite desta sexta-feira, 20/12, milhares de pessoas estiveram reunidas no Ginásio do Centro Social Marista de Porto Alegre – Cesmar, para assistir ao espetáculo Cesmar Cultural 2019. Com o objetivo de apresentar as oficinas desenvolvidas pelo Cesmar, pelo Polo Marista de Formação Tenológica e pelo Colégio Marista Ir. Jaime Biazus, neste ano contou com a temática "Sejamos Ponte e Farol de Esperança".

Os educandos surpreenderam mais de 1.600 pessoas da comunidade, apresentando as oficinas, trabalhos e projetos desenvolvidos pelas três Unidades Sociais no bairro Mário Quintana.

Para o diretor do Cesmar, Ir. Odilmar Fachi, o Cesmar Cultural “é sempre um momento muito importante para todos nós da família Cesmar celebrar as conquistas do ano com a comunidade".  Segundo o diretor, "recebemos neste dia, aqui no cesmar, a comunidade e queremos celebrar e vibrar, pois é sempre uma oportunidade de encontro, de alegria, de festa e de confraternização com as famílias dos nossos educandos", completa o diretor do Cesmar, que se despediu desejando um feliz natal e um próspero ano novo a todos.

O Cesmar Cultural ocorre todos os anos na segunda semana de dezembro. Os educandos apresentam todas as oficinas dentro de uma temática específica. Na temática deste ano o espetáculo abordou um dos apelos do Capítulo Provincial da Rede Marista: “Juntos Sejamos Pontes e Farol de Esperança".

Entendo a temática

A palavra juntos remete à importância de cada pessoa que dá continuidade à missão em todos os nossos espaços. Na mesma perspectiva, pontes traz o sentido de sermos agentes de mudança, mensageiros da paz e comprometidos na transformação da vida de crianças, adolescentes, jovens e adultos. Por último, o termo farol de esperança afirma que devemos ser sinal de luz neste mundo turbulento. Reforça a necessidade de caminharmos como família global e de nos abrirmos para estar disponíveis para além das fronteiras religiosas.​​