Navegar para Cima

Notícias

Pai é como um farol de esperança

Confiança e presença que ilumina
08/08/2019
Espiritualidade
Confiança e presença que ilumina

Uma criança com dois anos de idade faz movimentos para descer sozinha de uma cadeira, e o pai ao lado diz: “continua filha, você consegue. " 

Ela sente-se confiante e continua a sua aventura. O pai sabe que tem o risco de uma queda e reagirá para evitar, caso aconteça. A presença dele nesse fato é uma presença significativa. Um dos aspectos geradores da significação é a demonstração de confiança contida na frase, mas, acima de tudo, o tom de voz que transmitiu o reconhecimento de que ela era capaz. Um gesto simples, mas com um poder enorme sobre as muitas outras situações da vida futura da criança.

Um pai é como um farol, é uma referência que teve outras pessoas como modelo, e esse ciclo é interminável, tanto na origem quanto na continuidade.​

Ter consciência de que a luz que carregamos em nós não é só nossa, é uma atitude cristã, pois revela nossa pequenez diante do criador da luz. Nós somos apenas cocriadores, reflexo de uma luz com origem maior. Ao adentrar na realidade que nos toca viver, a luz recebida através da ternura e presença de um pai serve de referência para outras pessoas, e assim formamos um circuito gerador de energia. Importa que se tenha o discernimento para dizer: “continua, você consegue".​​

Sobre a data

Em 1981, a Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), em sua 19ª Assembleia Geral, instituiu agosto como Mês Vocacional, dando ênfase ao compromisso de cada pessoa, especialmente às quatro vocações específicas: sacerdócio, pais, religiosos/religiosas e Leigos/Leigas. De lá para cá, o segundo domingo do mês de agosto é dedicado aos pais.